Não é comigo…

Oh, quantas vezes nos tornamos indiferentes ao sofrimento de nossos semelhantes! Se a dor não é minha, não me importa, não me comovo. Se o trágico não ocorreu comigo ou com alguém que amo, é como uma notícia de jornal, lamento, mas não choro.

Que mundo é esse em que vivemos? Que tipo de seres humanos nos tornamos? Parece que não há mais solidariedade entre nós.

Leio a Bíblia e vejo o meu Salvador movendo-se de íntima compaixão por uma multidão que estava como ovelhas que não tinham pastor. Vejo Ele chorando por uma cidade que não reconhecia o seu Redentor e Messias e que muitas vezes quiz Ele juntá-la junto a si, como a galinha junta os seus pintinhos! Vejo Ele chorando por uma família que tinha perdido o seu ente querido e que também era seu amigo! Sim, Jesus tinha sentimentos, Ele se comovia com o sofrimento humano, não ficava indiferente ao que acontecia ao seu redor.

Coloco-me como seguidor do Nazareno, mas não hajo como Ele diante do que acontece ao meu redor! Quão indiferente sou eu!

Se meu irmão sofre, aumento o sofrimento dele, julgando-o ou condenando-o, porque ele deve ter cometido algum pecado muito grave para está passando por aquilo. Ou se ele comete algum pecado, atiro pedras nele e condeno-o porque ele não vigiou, não manteve-se fiel a Deus. “Vai queimar no mármore do inferno!” (expressão “muçulmana” usada em uma novela para quem cometia algum erro). Mas sabe o que diz o meu Mestre? “Nem eu te condeno, vai e não peques mais”. Sabe, preciso ser mais humano e compreensivo. Parece que estou me tornando intolerante! Não, não se trata de “passar a mão no pecado”, mas ajudar o meu irmão para que sua dor seja amenizada. É isso que faria o meu Salvador!

Assim, quero chorar mais, quero me comover mais com a dor do meu semelhante, mesmo que não o conheça! Quero ser mais humano!

Shalom Adonai!

Não é comigo…

Oh, quantas vezes nos tornamos indiferentes ao sofrimento de nossos semelhantes! Se a dor não é minha, não me importa, não me comovo. Se o trágico não ocorreu comigo ou com alguém que amo, é como uma notícia de jornal, lamento, mas não choro.

Que mundo é esse em que vivemos? Que tipo de seres humanos nos tornamos? Parece que não há mais solidariedade entre nós.

Leio a Bíblia e vejo o meu Salvador movendo-se de íntima compaixão por uma multidão que estava como ovelhas que não tinham pastor. Vejo Ele chorando por uma cidade que não reconhecia o seu Redentor e Messias e que muitas vezes quiz Ele juntá-la junto a si, como a galinha junta os seus pintinhos! Vejo Ele chorando por uma família que tinha perdido o seu ente querido e que também era seu amigo! Sim, Jesus tinha sentimentos, Ele se comovia com o sofrimento humano, não ficava indiferente ao que acontecia ao seu redor.

Coloco-me como seguidor do Nazareno, mas não hajo como Ele diante do que acontece ao meu redor! Quão indiferente sou eu!

Se meu irmão sofre, aumento o sofrimento dele, julgando-o ou condenando-o, porque ele deve ter cometido algum pecado muito grave para está passando por aquilo. Ou se ele comete algum pecado, atiro pedras nele e condeno-o porque ele não vigiou, não manteve-se fiel a Deus. “Vai queimar no mármore do inferno!” (expressão “muçulmana” usada em uma novela para quem cometia algum erro). Mas sabe o que diz o meu Mestre? “Nem eu te condeno, vai e não peques mais”. Sabe, preciso ser mais humano e compreensivo. Parece que estou me tornando intolerante! Não, não se trata de “passar a mão no pecado”, mas ajudar o meu irmão para que sua dor seja amenizada. É isso que faria o meu Salvador!

Assim, quero chorar mais, quero me comover mais com a dor do meu semelhante, mesmo que não o conheça! Quero ser mais humano!

Shalom Adonai!

Happy New Year!

2011 chegou! Muitos estabeleceram objetivos, propósitos e metas a serem alcançados neste novo ano. É salutar que as pessoas façam isso! Mas sabem de uma coisa? Não fiz nada disso! Simplesmente estou vivendo. Estou seguindo o curso da vida. Minhas atividades permanecem as mesmas, minha vida continua a mesma. Não propus mudar nada.

Seguindo o curso da vida, quero cada dia que passa estar mais perto do meu Deus. Quero ser um verdadeiro seguidor do Nazareno, parecer cada dia mais com Ele. Amar, perdoar, exercer misericórdia, ser compassivo, dominar o meu “eu” (na verdade, mortificá-lo), coisas como essas que fazem parte de uma vida cristã normal e saudável. Ah, como eu gostaria de ter a fé do tamanho de um grão de mostarda! Como eu gostaria de espalhar as palavras do meu Mestre pelos quatro cantos da Terra! Mas, fazer o que? Viver, simplesmente viver da melhor maneira possível e fazer e dar o melhor que posso ao meu Salvador!

Assim, digo:  bem-vindo 2011! Vou viverte cada dia!

Happy New Year!

2011 chegou! Muitos estabeleceram objetivos, propósitos e metas a serem alcançados neste novo ano. É salutar que as pessoas façam isso! Mas sabem de uma coisa? Não fiz nada disso! Simplesmente estou vivendo. Estou seguindo o curso da vida. Minhas atividades permanecem as mesmas, minha vida continua a mesma. Não propus mudar nada.

Seguindo o curso da vida, quero cada dia que passa estar mais perto do meu Deus. Quero ser um verdadeiro seguidor do Nazareno, parecer cada dia mais com Ele. Amar, perdoar, exercer misericórdia, ser compassivo, dominar o meu “eu” (na verdade, mortificá-lo), coisas como essas que fazem parte de uma vida cristã normal e saudável. Ah, como eu gostaria de ter a fé do tamanho de um grão de mostarda! Como eu gostaria de espalhar as palavras do meu Mestre pelos quatro cantos da Terra! Mas, fazer o que? Viver, simplesmente viver da melhor maneira possível e fazer e dar o melhor que posso ao meu Salvador!

Assim, digo:  bem-vindo 2011! Vou viverte cada dia!