Feliz Natal!

Feliz Natal!

Não o natal comercial, aquele em que as pessoas costumam trocar presentes entre elas, como uma forma de demonstrar algum apreço umas pelas outras, mas apenas nesta época do ano. Também não me refiro ao chamado “espírito do natal” tão propagado pelos filmes e programações de televisão, pois parece mais um espírito oportunista ou criado especificamente para esse momento.

Quero lembrar-lhes, porém, que o Natal é a celebração do nascimento do Salvador, de Jesus, o Cristo que veio para nos reconciliar com o Pai!

Celebrar o Natal é celebrar a Cristo! É agradecer a Deus por nos ter propiciado uma tão grande salvação através de Seu Filho Amado!

Que possamos cantar juntamente com os anjos: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.” (Lucas 2.14).

Mas sabe de uma coisa? O natal ocorre todos os dias quando Cristo nasce no coração de alguém, quando alguém tem um encontro pessoal e salvífico com Ele!

FELIZ NATAL!

Feliz Natal!

Feliz Natal!

Não o natal comercial, aquele em que as pessoas costumam trocar presentes entre elas, como uma forma de demonstrar algum apreço umas pelas outras, mas apenas nesta época do ano. Também não me refiro ao chamado “espírito do natal” tão propagado pelos filmes e programações de televisão, pois parece mais um espírito oportunista ou criado especificamente para esse momento.

Quero lembrar-lhes, porém, que o Natal é a celebração do nascimento do Salvador, de Jesus, o Cristo que veio para nos reconciliar com o Pai!

Celebrar o Natal é celebrar a Cristo! É agradecer a Deus por nos ter propiciado uma tão grande salvação através de Seu Filho Amado!

Que possamos cantar juntamente com os anjos: “Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.” (Lucas 2.14).

Mas sabe de uma coisa? O natal ocorre todos os dias quando Cristo nasce no coração de alguém, quando alguém tem um encontro pessoal e salvífico com Ele!

FELIZ NATAL!

Se o Senhor não estiver… não continue!

Um rei não se salva pela multidão do seu exército; nem o homem valente se livra pela muita força. O cavalo é vã esperança para a vitória; não pode livrar ninguém pela sua grande força.” (Sl 33.16,17).
Quem somos nós, senão simples mortais, que muitas vezes achamos que somos grandes e importantes? Oh, quantos são esnobes e pensam que viverão eternamente aqui neste mundo! Fazem planos para o futuro como se tivessem o controle total de suas vidas e circunstâncias. Isso não quer dizer que não podemos planejar as coisas, claro que podemos. Só não podemos incorrer no erro descrito por Tiago: “Eia agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano, negociaremos e ganharemos. No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. Mas agora vos jactais das vossas presunções; toda jactância tal como esta é maligna.” (Tg 4.13-16).
Os versículos do Salmo citado acima comparam-se ao do Salmo 127.1,2. Jamais seremos bem sucedidos em qualquer área de nossas vidas se o Senhor não estiver presente. Veja bem, o salmista não diz que um rei não possa ter um grande exército, ele pode até ter, mas ele jamais obterá vitória por confiar no seu exército. Também não diz que não se possa vigiar uma cidade ou edificar um casa, tudo isso pode ser feito, mas se Deus não estiver presente é tudo em vão! 
Inútil é pensarmos que podemos ou que somos alguma coisa, que temos condições de avançarmos nos empreendimentos da vida sem a presença de Deus. Alguém pode argumentar que há ímpios bem-sucedidos, que não tributam a Deus nenhum louvor e ainda assim se dão bem na vida. Tal pensamento é semelhante ao de Asafe no Salmo 73. No entanto, veja o que acontece com essas pessoas no final de tudo! (leia o Salmo… , detenha-se nos vv. 18-20).
O melhor é: se Deus não estiver, não vá em frente!
Shalom Adonai!

Se o Senhor não estiver… não continue!

Um rei não se salva pela multidão do seu exército; nem o homem valente se livra pela muita força. O cavalo é vã esperança para a vitória; não pode livrar ninguém pela sua grande força.” (Sl 33.16,17).
Quem somos nós, senão simples mortais, que muitas vezes achamos que somos grandes e importantes? Oh, quantos são esnobes e pensam que viverão eternamente aqui neste mundo! Fazem planos para o futuro como se tivessem o controle total de suas vidas e circunstâncias. Isso não quer dizer que não podemos planejar as coisas, claro que podemos. Só não podemos incorrer no erro descrito por Tiago: “Eia agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano, negociaremos e ganharemos. No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. Mas agora vos jactais das vossas presunções; toda jactância tal como esta é maligna.” (Tg 4.13-16).
Os versículos do Salmo citado acima comparam-se ao do Salmo 127.1,2. Jamais seremos bem sucedidos em qualquer área de nossas vidas se o Senhor não estiver presente. Veja bem, o salmista não diz que um rei não possa ter um grande exército, ele pode até ter, mas ele jamais obterá vitória por confiar no seu exército. Também não diz que não se possa vigiar uma cidade ou edificar um casa, tudo isso pode ser feito, mas se Deus não estiver presente é tudo em vão! 
Inútil é pensarmos que podemos ou que somos alguma coisa, que temos condições de avançarmos nos empreendimentos da vida sem a presença de Deus. Alguém pode argumentar que há ímpios bem-sucedidos, que não tributam a Deus nenhum louvor e ainda assim se dão bem na vida. Tal pensamento é semelhante ao de Asafe no Salmo 73. No entanto, veja o que acontece com essas pessoas no final de tudo! (leia o Salmo, detenha-se nos vv. 18-20).
O melhor é: se Deus não estiver, não vá em frente!
Shalom Adonai!

Se o Senhor não estiver… não continue!

Um rei não se salva pela multidão do seu exército; nem o homem valente se livra pela muita força. O cavalo é vã esperança para a vitória; não pode livrar ninguém pela sua grande força.” (Sl 33.16,17).

Quem somos nós, senão simples mortais, que muitas vezes achamos que somos grandes e importantes? Oh, quantos são esnobes e pensam que viverão eternamente aqui neste mundo! Fazem planos para o futuro como se tivessem o controle total de suas vidas e circunstâncias. Isso não quer dizer que não podemos planejar as coisas, claro que podemos. Só não podemos incorrer no erro descrito por Tiago: “Eia agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano, negociaremos e ganharemos. No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. Mas agora vos jactais das vossas presunções; toda jactância tal como esta é maligna.” (Tg 4.13-16).

Os versículos do Salmo citado acima comparam-se ao do Salmo 127.1,2. Jamais seremos bem sucedidos em qualquer área de nossas vidas se o Senhor não estiver presente. Veja bem, o salmista não diz que um rei não possa ter um grande exército, ele pode até ter, mas ele jamais obterá vitória por confiar no seu exército. Também não diz que não se possa vigiar uma cidade ou edificar um casa, tudo isso pode ser feito, mas se Deus não estiver presente é tudo em vão! 

Inútil é pensarmos que podemos ou que somos alguma coisa, que temos condições de avançarmos nos empreendimentos da vida sem a presença de Deus. Alguém pode argumentar que há ímpios bem-sucedidos, que não tributam a Deus nenhum louvor e ainda assim se dão bem na vida. Tal pensamento é semelhante ao de Asafe no Salmo 73. No entanto, veja o que acontece com essas pessoas no final de tudo! (leia o Salmo… Smile, detenha-se nos vv. 18-20).

O melhor é: se Deus não estiver, não vá em frente!

Shalom Adonai!